Israel liberta segunda leva de prisioneiros palestinos

Jerusalém, 18 - Israel prepara, hoje, soltar 550 prisioneiros palestinos, na segunda e final parte de um acordo com os militantes do Hamas que trouxe de volta um soldado israelense depois de cinco anos de cativeiro. O acordo prevê a troca de um total de 1.027 prisioneiros pelo sargento Gilad Schalit, que foi capturado pelos militantes da Faixa de Gaza em junho de 2006. Schalit voltou para casa em outubro, quando Israel libertou a primeira leva de 477 prisioneiros. A operação de hoje completa o acordo.

EDUARDO MAGOSSI, Agência Estado

18 de dezembro de 2011 | 17h00

Funcionários da prisão informaram que os prisioneiros que estão sendo libertados hoje possuem sentenças leves ou estão perto do fim de sua condenação. Apenas 41 irão retornar para Gaza. Mais de 500 serão enviados para a Cisjordânia, que é governado pelo presidente Mahmoud Abbas, do movimento Fatah, rival do Hamas. Estima-se que muitos dos prisioneiros libertados hoje tenham ligações com Abbas.

Israel tem interesse em apoiar Abbas em um momento em que grupos islâmicos, como o Hamas, estão aumentando seu poder em todo Oriente Médio. Ao contrário do Hamas, Abbas apoia um acordo pacífico com Israel. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PalestinaIsraelacordoprisioneiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.