Israel libertará 170 palestinos detidos

Israel aprovou a soltura de cerca de 170 palestinos presos, num gesto que as autoridades disseram ser em consideração tanto ao presidente do Egito, Hosni Mubarak, como ao novo líder palestino, que será eleito no mês que vem.Um comitê ministerial especial elaborou a lista daqueles que vão ser libertados - depois de o gabinete ter tomado a decisão na semana passada.A liberação de prisioneiros palestinos estava sendo esperada como um gesto de retribuição ao líder egípcio depois de o Egito ter libertado no início deste mês o espião israelense condenado Azzam Azzam, que estava preso há oito anos no país.Os prisioneiros devem ser soltos na semana que vem."Mãos sem sangue"Autoridades palestinas vêm pedindo a soltura de milhares de palestinos presos em Israel.Estima-se que 6 mil palestinos estão detidos em prisões israelenses e acampamentos militares.Segundo o correspondente da BBC em Jerusalém, Simon Wilson, enquanto uns estão detidos pelo suposto envolvimento em ataques contra israelenses, outros são acusados de atos criminosos, como roubo de carro e assalto.Ele disse ainda não estar claro quais vão ser liberados. Um comunicado do primeiro-ministro de Israel Ariel Sharon diz apenas que nenhum dos palestinos que vão ser soltos "teve sangue em suas mãos".A frase costuma ser utilizada para caracterizar ataques em que israelenses morreram.BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.