Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Israel libertará prisioneiras por vídeo de soldado

Israel vai libertar 20 mulheres palestinas da prisão nesta semana em troca de um vídeo que prova que o sargento israelense Gilad Schalit, mantido pelo Hamas na Faixa de Gaza, está vivo. A informação foi divulgada hoje pelo governo israelense e pelo Hamas. Trata-se do primeiro sinal tangível de movimentação sobre o destino do soldado em mais de três anos.

AE-AP, Agencia Estado

30 de setembro de 2009 | 12h52

Schalit foi sequestrado por militantes ligados ao grupo radical durante um ataque fronteiriço em junho de 2006 e, desde então, não foi mais visto. O gabinete do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e militantes do Hamas na Faixa de Gaza disseram que os sequestradores de Schalit divulgarão um vídeo do soldado em troca da libertação das prisioneiras. A troca deve acontecer na sexta-feira.

Um comunicado do gabinete de Netanyahu diz que um grupo de graduados ministros aprovou o acordo, sugerido por mediadores egípcios e alemães, como uma "medida de construção de confiança". O documento cita um graduado funcionário do gabinete do primeiro-ministro dizendo que as negociações devem ser "longas e difíceis".

A libertação de Schalit eliminaria um ponto central da disputa e poderia ajudar a aliviar o bloqueio que Israel impõe à Faixa de Gaza, governada pelo Hamas. Segundo o comunicado, o acordo será levado adiante "em antecipação a estágios decisivos das negociações para a libertação de Gilad Schalit e são baseadas no compromisso do governo israelense de trabalhar com determinação para trazê-lo de volta rapidamente".

Em Gaza, o porta-voz do Hamas, Osama Muzini, confirmou o acordo que, segundo ele, foi estabelecido depois de mediadores alemães terem pedido informações sobre a saúde de Schalit e de o Hamas ter respondido que "nada é de graça". "Vinte prisioneiras serão libertadas em troca de informações sobre a vida (do soldado) por meio de um vídeo que assegura ao inimigo que ele está vivo", disse Muzini. Um site do Hamas informa que as imagens têm duração de cerca de um minuto.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelHamasprisioneirassoldado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.