Israel limita acesso de fiéis à mesquita de Al-Aqsa em véspera de festividade

O governo de Israel irá restabelecer uma lei que bane muçulmanos com menos de 40 anos de terem acesso à mesquita de Al-Aqsa, no local mais sagrado de Jerusalém, como uma medida de garantir a tranquilidade durante o Yom Kippur, feriado judaico conhecido como o Dia do Perdão.

Estadão Conteúdo

22 Setembro 2015 | 00h41

O local sagrado na Cidade Velha de Jerusalém, conhecido pelos judeus como Monte do Templo e pelos muçulmanos como Santuário Nobre, tem sido palco de violência entre manifestantes palestinos e a polícia de Israel nos últimos dias.

A polícia afirmou que a segurança será redobrada durante a festividade e muçulmanos com menos de 40 anos serão proibidos de entrar no complexo da mesquita de Al-Alqsa durante as 25 horas do jejum de Yom Kippur, que inicia no pôr do sol de terça-feira. A data coincide com o feriado muçulmano de Eid al-Adha, também conhecido como o Festival do Sacrifício. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Israel Palestina conflito Jerusalém

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.