Israel mata dirigente do Hamas em solo sírio

O dirigente da milícia islâmica Hamas Izz Eldine Subhi Sheik Khalil morreu hoje com explosão de seu veículo em Damasco. Em Israel, o governo não emitiu declarações, mas alguns funcionários de segurança, que pediram anonimato, reconheceram de imediato ter responsabilidade no assassinato. É a primeira vez que o Estado judeu elimina um dirigente do Hamas em solo sírio. A explosão ocorreu às 10h45 (horário local). Segundo Mohamed Nazal, membro do escritório político do Hamas no Cairo, uma bomba foi colocada no veículo de Khalil e explodiu quando ele foi tentar dar a partida no motor. Nazal acusou Israel de assassinar Khalil, de 42 anos, que trabalhou para o Hamas na Faixa de Gaza. O Estado judeu expulsou Khalil de Gaza em 1992, junto a vários outros palestinos que passaram semanas em um pedaço de terra localizado entre Israel e o Líbano. Inicialmente, Beirute se recusara a aceitar os deportados em protesto contra sua expulsão, mas acabou recebendo-os mais tarde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.