Israel mata seis palestinos durante combate em Gaza

O Exército israelense matou nesta quarta-feira pelo menos seis palestinos num confronto armado na localidade de Beit Hanun, no norte da Faixa de Gaza, informaram fontes médicas palestinas. Segundo as fontes, os mortos eram um agente das forças de segurança e cinco milicianos. Além disso, 25 pessoas foram feridas e se encontram em estado grave ou moderado. A maioria das vítimas foi atingida por estilhaços de foguetes. Segundo fontes militares israelenses, os palestinos usaram granadas antitanque e explosivos em resposta à entrada das tropas no território. Os serviços de segurança palestinos informaram que mais de 20 veículos blindados israelenses, apoiados por helicópteros e aviões não tripulados, entraram em Beit Hanun por dois pontos diferentes até chegar ao centro da localidade. Além disso, testemunhas disseram que escavadeiras militares arrasaram plantações nos arredores. Um helicóptero aterrissou no norte da cidade, possivelmente com o objetivo de retirar possíveis soldados israelenses feridos. Membros das Brigadas dos Mártires de al-Aqsa reivindicaram a detonação de um explosivo de fabricação caseira contra um veículo blindado israelense. Em Khan Yunes, outros três palestinos, supostamente ativistas do Hamas, morreram ontem, abatidos a tiros por soldados israelenses. Em Jerusalém, o comitê parlamentar para assuntos de Segurança e Relações Exteriores debaterá nesta quarta-feira uma série de planos militares para deter a entrada de armas na Faixa de Gaza, por meio dos túneis que ligam o Egito a Rafah. O ministro da Defesa, Amir Peretz, afirmou na terça-feira que o Exército não tem intenção de ocupar novamente a Faixa de Gaza, e sim de continuar com operações com alvos concretos. O Exército israelense teme a entrada na Faixa de Gaza de granadas antitanque e antiaéreas, que possam ameaçar sua superioridade militar.

Agencia Estado,

01 Novembro 2006 | 07h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.