Israel não está acima do direito internacional, diz ONU

O governo de Israel não pode pensar que está acima do direito internacional e dos direitos humanos. O alerta é do Alto Comissário dos Direitos Humanos da ONU, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, que condenou os últimos ataques israelenses contra alvos civis palestinos. "A história dos judeus revela que foram vítimas de graves violações aos direitos humanos. Agora, precisam dar exemplo a todo o mundo e respeitar o direito internacional", afirmou o brasileiro, que há três meses ocupa um dos postos mais altos da ONU.Para ele, a única solução para o conflito entre palestinos e israelenses é o estabelecimento de um acordo de paz que contemple a criação de dois Estados independentes. "A justificativa de que a segurança deve ser preservada não ajudará. Muitos crimes podem ser cometidos em nome da segurança", afirmou o brasileiro, fazendo referência à insistência do governo israelense em legitimar suas ações tendo como base a segurança de seu povo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.