Israel não está pronto para pagar qualquer preço por soldado

O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, disse na quarta-feira que o país não está preparado para atender a todas as exigências dos militantes palestinos para assegurar a libertação de um soldado israelense. "Israel não pode pagar qualquer preço exigido pelos captores do (soldado) Gilad Shalit", disse Olmert a um importante comitê parlamentar durante audiência portas fechadas segundo a Rádio do Exército . Olmert também disse, de acordo com os sites de notícias Ha´aretz e YNET, que a lista dos prisioneiros palestinos exigidos em troca de Shalit foi "decepcionante e criou expectativas que não podemos cumprir". O Hamas, que lidera o governo palestino, entregou recentemente os nomes dos prisioneiros palestinos que quer que Israel liberte na troca por Shalit, que é mantido preso por militantes em Gaza há 10 meses.Funcionários do governo egípcio entregaram recentemente a Israel uma lista com mais de mil nomes de prisioneiros palestinos presos em Israel. As três facções responsáveis pela captura de Shalit exigem a libertação deles no caso de uma troca.Segundo algumas versões da lista de presos, poderiam ser incluídos na troca Marwan Barghouti, líder do Fatah na Cisjordânia; Ahmed Saadat, dirigente da Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP); e Hassan Youssef, líder do Hamas na Cisjordânia.A imprensa local diz que além de centenas de mulheres, menores de idade, doentes e prisioneiros com penas superiores a 20 anos a lista inclui presos acusados de crimes contra o Estado israelense e terrorismo.Falando a uma Comissão do Parlamento (Knesset), Olmert também negou que Israel tenha intenção de atacar a Síria. Além disso, negou ter informações de que os Estados Unidos planejem atacar o Irã.Ele destacou a redução dos ataques com foguetes disparados por palestinos da Faixa de Gaza contra o território israelense.Segundo informa o jornal Ha´aretz, o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, chegou a um acordo com a Jihad Islâmica para interromper os lançamentos de foguetes Qassam de Gaza.Fontes do Exército israelense citadas pelo jornal confirmaram que os ataques com foguetes diminuíram drasticamente nos últimos meses como resultado da trégua.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.