Israel nega proposta para retirada do sul do Líbano

Um enviado norte-americano ao Líbano declarou em uma mensagem nesta quarta-feira que as tropas israelenses não vão ser retiradas do sul do país enquanto uma força internacional não estiver posicionada. David Welch, assistente da secretaria de Estado americana, Condoleezza Rice, realizou visita surpresa ao Líbano na terça-feira para conversar com o primeiro-ministro libanês, segundo funcionários do governo.O Líbano e seus aliados árabes queriam incluir a retirada do Exército israelense do sul do Líbano ao rascunho de resolução de cessar-fogo proposto ao Conselho de Segurança da ONU pela França e EUA. O Líbano sugeriu enviar 15 mil militares para o sul do país com a intenção de iniciar a trégua entre os israelenses e libaneses, mas Israel informou que não aceitaria a medida."Israel ainda rejeita a retirada e se recusa negociar sobre as Fazendas de Sheba", afirmou um funcionário libanês, que não se identificou por não estar autorizado a dar informações sobre o assunto. "Israel insiste na espera pelo posicionamento de uma resolução internacional", reforçou o oficial.A mensagem foi entregue pessoalmente ao primeiro-ministro Fuad Saniora por Welch durante dois encontros nesta quarta-feira. Welch também se encontrou com o porta-voz do parlamento libanês, Nabih Berri, um partidário do Hezbollah que fez observações severas em relação aos esforços dos EUA para um acordo com a ONU sobre um cessar-fogo."Welch, como eu falei com ele, foi hábil para anunciar uma péssima resolução e, portanto, eu concordo com o primeiro-ministro Saniora de que até agora não tivemos nenhum progresso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.