Israel ordena fechamento de shopping na Cisjordânia

Uma operação de tropas israelenses hoje fechou um shopping na cidade de Nablus, na Cisjordânia. O governo de Israel argumenta que o popular centro de compras pertence ao grupo militante islâmico Hamas. A ação ocorreu de madrugada, durante uma investida ampla contra o Hamas na Cisjordânia. Testemunhas palestinas disseram que as tropas cercaram o Shopping Nablus depois da meia-noite, lacrando o local e colocando ordens de fechamento em algumas janelas das lojas. "Havia dezenas de soldados, vários jipes", descreveu Ali Ashur, de 28 anos, proprietário de uma loja de telefones celulares. Ele disse que correu para o local às duas da manhã, após ser alertado da movimentação por um segurança do local. O shopping, com 70 lojas é um dos locais mais populares de Nablus, cidade com 135 mil habitantes que é o centro comercial da Cisjordânia. De acordo com a ordem, assinada por um general israelense responsável pela Cisjordânia, o edifício será fechado no dia 15 de agosto. Com isso, os proprietários de lojas teriam mais de um mês para transferirem seus negócios. A proprietária do shopping é a Beit al-Mal, empresa cujos parceiros incluem o prefeito de Nablus Adli Yaish, um político do Hamas que já foi preso por Israel. Osman Muslah, sócio de Yaish, disse que o centro não é do grupo. "Isso não pertence ao Hamas", disse ele. "Nós combateremos essa medida pela lei."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.