Israel ordena fechamento total da Cisjordânia e Gaza

Alegando ter recebido advertências de "rara severidade" sobre a iminência de um atentado, as autoridades israelenses ordenaram o fechamento total das fronteiras com a Cisjordânia e a Faixa de Gaza, proibindo a entrada de palestinos no território de Israel. O anúncio foi feito pelo Ministério da Defesa.Pela manhã, soldados israelenses mataram dois supostos ativistas palestinos, incluindo um fugitivo desarmado, e capturou o que seria um possível homem-bomba. Citando fontes oficiais, a Rádio do Exército qualificou de "inusualmente severos" os alertas sobre a intenção de grupos estrangeiros de lançar um ataque nos próximos dias.O acesso de palestinos a Israel tem sido fortemente restringido ao longo dos 28 meses de intifada (levante). A decisão de fechar totalmente as fronteiras, no entanto, não é muito freqüente.O ministro da Defesa, Shaul Mofaz, também suspendeu algumas medidas destinadas a abrandar uma série de restrições aos palestinos durante os feriados muçulmanos, nesta semana. Esse abrandamento consistiria na autorização para que palestinos que trabalham em Israel pudessem entrar no país e na permissão para que palestinos acima de 45 anos pudessem ingressar na disputada Jerusalém Oriental para orações na Cidade Sagrada, durante os feriados.Antes do início da intifada, em setembro de 2000, mais de 100 mil palestinos trabalhavam em Israel e cruzavam a fronteira todos os dias. Hoje, só 20 mil têm permissão para entrar em Israel, mas, com o fechamento total da fronteira, não terão sua passagem autorizada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.