Israel, palestinos e EUA não acertam cessar-fogo

O enviado especial norte-americano para o Oriente Médio, William Burns, manteve hoje um segundo encontro com o presidente da Autoridade Palestina (AP), Yasser Arafat, em Ramallah, na Cisjordânia, e no fim do dia voltou a reunir-se, em Jerusalém, com o primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, sem que aparentemente houvesse conseguido avanços significativos para pôr fim à violência na região. Arafat iniciou uma visita a Moscou, onde pedirá à Rússia maior participação no processo de paz.Israel quer retomar as conversações com os palestinos somente no âmbito da cooperação na área de segurança enquanto os dirigentes da AP buscam a inclusão da questão política no diálogo. Sharon insiste em só retomar o processo de paz depois que cessarem os conflitos.Apesar das divergências, o chanceler de Israel, Shimon Peres, disse à TV local esperar que o diálogo no campo da segurança seja retomado nesta terça-feira para pôr em prática a primeira etapa das recomendações do relatório formulado pela comissão liderada pelo ex-senador americano George Mitchel.O relatório Mitchel exortou as duas partes a interromperem a violência e a tomar uma série de medidas para restabelecer a confiança mútua, entre as quais o congelamento das construções nos assentamentos judeus na Faixa de Gaza e na Cisjordânia e Jerusalém Ocidental, territórios ocupados por Israel em 1967, e ações da AP para impedir ataques a alvos israelenses.Em oito meses de intifada (levante palestino contra a ocupação israelense), morreram 478 pessoas do lado palestino e 85 do israelense.O negociador palestino Saeb Erekat disse à imprensa que Arafat mostrou a Burns um mapa de 18 novas colônias judaicas erguidas nos territórios ocupados desde a chegada de Sharon ao poder em março. No entanto, no encontro que manteve domingo com Burns, Sharon disse que Israel aceitou e está adotando as determinações da comissão.Hoje, o menino palestino Mohammed Aou Samhadana, de 7 anos, foi ferido numa perna por disparos de um fuzil M-16 soldados israelenses contra o povoado de Morag, no sul da Faixa de Gaza. Segundo a AP, blindados israelenses adentraram cerca de 200 metros num setor autônomo palestino a leste da cidade de Gaza e arrancaram oliveiras e destruíram plantações. O Exército de Israel não comentou a ação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.