Israel para com celebração do feriado do Yom Kippur

Israel celebra neste sábado o feriado do Yom Kippur, conhecido como o Dia do Perdão. Esta é considerada uma das mais importantes datas do calendário judaico, exigindo dos fiéis a prática de 25 horas de jejum e contemplação.

AE-AP, Agência Estado

18 de setembro de 2010 | 16h21

Embora a maioria dos israelenses não seja religiosa, o país fica praticamente parado durante o feriado. As transmissões de rádio e TV são interrompidas, o comércio é fechado e as ruas estão tão tranquilas sem os carros que milhares de crianças aproveitam para andar de bicicleta e brincar. Ficam suspensos também todos os voos e o espaço aéreo e marítimo israelense é fechado ao tráfego comercial. É proibido navegar na Internet e falar ao telefone. Somente os serviços de emergência permanecem funcionando. Pesquisas mostram que a maioria dos judeus israelenses jejua no Yom Kippur.

O feriado acaba e a vida volta ao normal quando surgem as três primeiras estrelas no céu no sábado, ao som do shofar, um dos instrumentos de sopro mais antigos do mundo.

Segundo a tradição judaica, o Yom Kippur é o dia no qual Deus avalia as ações de cada pessoa e decide sobre seu destino para o ano seguinte.

Rabinos de um grupo chamado Tzohar, que trabalha para tornar o Judaísmo mais acessível aos israelenses agnósticos, enviou voluntários para realizarem cerimônias em centros comunitários e outros locais para garantir que todos tenha um lugar para rezar.

As forças de segurança de Israel estão em estado de alerta e não é permitido o acesso ao território do país por palestinos da Cisjordânia e de Gaza, salvo em casos humanitários. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelYom Kippur

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.