Israel pede ao Líbano que evite viagem de ativistas

O governo de Israel pediu ao governo do Líbano e à comunidade internacional que evitem a viagem do navio Miriam, que deverá partir no próximo domingo do porto de Tripoli rumo à ilha do Chipre e depois à Faixa de Gaza.

AE-AP, Agência Estado

20 de agosto de 2010 | 16h48

A embaixadora de Israel na Organização das Nações Unidas (ONU), Gabriela Shalev, enviou cartas hoje ao Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, e ao Conselho de Segurança (CS), explicando que seu país se reserva ao direito, de acordo com as leis internacionais, "de usar todos os meios necessários" para evitar que o navio viole o bloqueio naval à Faixa de Gaza.

Shalev disse que um grupo de indivíduos "suspeito de possuir laços com o Hezbollah, uma organização terrorista", anunciou que o navio partirá de Tripoli. Em 31 de maio, um ataque mortífero de comandos israelenses contra uma frota de ajuda humanitária à Faixa de Gaza deixou 9 ativistas turcos mortos.

Tudo o que sabemos sobre:
viagemnavioativistasLíbanoIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.