Israel pede força da Otan na fronteira do Líbano

O ministro da Defesa de Israel, Amir Peretz, declarou que seu governo aceitaria a presença de uma força internacional temporária, de preferência da Otan, ao longo da fronteira Israel-Líbano, para manter o grupo guerrilheiro Hezbollah longe do solo israelense, de acordo com funcionários do gabinete de Peretz.O ministro fez esses comentários durante uma reunião fechada com o ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier. "A meta de Israel é ver o Exército libanês posicionado ao longo da fronteira com Israel, mas entendemos que estamos falando de um Exército fraco e que, no meio tempo, Israel terá de aceitar uma força multinacional", disse Peretz, segundo seu gabinete. Peretz declarou ainda que a atual operação de Israel não Líbano não é uma invasão do país vizinho, mas uma série de "incursões limitadas" na área. "A operação terrestre do Exército no Líbano é focada em entradas limitadas, e não estamos falando de uma invasão do Líbano. Começamos a ver o sucesso do Exército contra o Hezbollah", disse ele numa reunião do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.