Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Israel pede que cidadãos deixem Jordânia e Egito

Em comunicado divulgado nesta quarta-feira, 7, o governo israelense pediu a seus cidadãos que encontram-se em visita ao Egito e à Jordânia que deixem imediatamente as duas nações, pois eles correm risco de se tornarem alvos de atentados. Os dois países são os únicos Estados árabes da região com os quais Israel mantém acordos de paz.Segundo o texto divulgado pela unidade de luta antiterrorista, a Jordânia e Egito aparecem como países onde há "ameaças concretas muito elevadas".Os israelenses também foram advertidos para não visitarem outros oito países árabes e sairem imediatamente dessas nações, se já estiverem nelas.Sobre as ameaças no Egito contra alvos israelenses, a unidade de luta antiterrorista menciona que a Península do Sinai é um ponto "especialmente" perigoso, já que é visitada todos os anos por dezenas de milhares de turistas dessa nacionalidade.Além destes dois países vizinhos, os outros seis destinos perigosos - segundo a lista - são Iraque, Líbano, Somália, Sudão, Síria e Iêmen.O Ministério das Relações Exteriores de Israel divulga com certa freqüência os países que os israelenses não devem visitar e determinados destinos turísticos, como o Sinai, que já foram alvo de atentados e cujos objetivos principais foram cidadãos deste país.As tensões entre Israel e o Egito aumentaram recentemente, após a difusão de um documentário indicando que soldados israelenses teriam matado dezenas de prisioneiros egípcios durante a Guerra dos Seis Dias (1967).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.