Israel pede veto dos EUA à condenação do muro

Israel pediu hoje aos EUA queusem seu poder de veto no Conselho de Segurança na ONU parabarrar qualquer resolução endossando o parecer dado sexta-feirapela Corte Internacional de Justiça considerando ilegal o muroque o país constrói nos territórios ocupados da Cisjordânia eJerusalém Oriental. A decisão não tem força de lei, mas a corte exortou aAssembléia-Geral e o CS a tomarem medidas necessárias para fazercom que Israel siga as leis internacionais. O governo israelensedeixou claro que não cumprirá a determinação, alegando que acorte não levou em conta seu objetivo de evitar a entrada dehomens-bomba no país. "O caso vai para o Conselho de Segurança porque (ospalestinos) podem reunir automaticamente maioria naAssembléia-Geral", disse o chanceler Silvam Shalom à RádioIsrael, acrescentando ter pedido às autoridades americanas queevitem a adoção de qualquer resolução. A Autoridade Palestina (AP), por sua vez, busca o apoioda União Européia. O primeiro-ministro Ahmed Korei disse aoenviado especial europeu Marc Otte que a AP espera a ajuda dobloco na ONU. Otte disse apenas que é preciso ver o andamento docaso, mas reiterou as objeções da UE ao muro. Ainda hoje, quatro militantes palestinos foram mortos naexplosão do carro em que estavam perto de uma colônia judaica naFaixa de Gaza. Palestinos acusaram Israel de ter atacado commísseis ou tanque. O Exército israelense não confirmou.

Agencia Estado,

10 de julho de 2004 | 14h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.