Israel prepara evacuação de enclaves ilegais da Cisjordânia

O jornal The Jerusalem Post informa nesta quarta-feira que o Ministério da Defesa de Tel-Aviv elabora um plano para evacuar 24 enclaves, formado por construções rudimentares erguidas na Cisjordânia sem autorização das autoridades. A evacuação seria um compromisso que o primeiro-ministro, Ehud Olmert, assumiu com o governo dos Estados Unidos. Fontes do Ministério da Defesa explicaram que o plano ainda não está pronto. Ele terá que ser apresentado ao governo para ser aprovado. Ainda não há previsão de datas. Em Israel, são considerados enclaves ilegais todas as construções precárias levantadas desde março de 2001, quando o então primeiro-ministro, Ariel Sharon, iniciou seu primeiro mandato. As obras não contam com as autorizações oficiais. Um deles, o da Fazenda Maon, ao sul dos Montes de Hebron, será um dos primeiros alvos, antecipa o jornal Ha´aretz. Inspetores da Administração Civil nos territórios palestinos visitaram na terça-feira a colônia, escoltados por forças policiais, para entregar a seus moradores as ordens de evacuação, que permitem a derrubada dos imóveis após um curto processo legal. O ministro da Defesa de Israel, Amir Peretz, disse em repetidas ocasiões que a Fazenda Maon será o primeiro enclave a ser demolido. O motivo são os constantes ataques de seus moradores contra estudantes palestinos de Hebron, que precisam atravessar a colônia judia para chegar à escola. Demolições serão rápidas Fontes militares explicaram que as ordens de evacuação permitem às autoridades demolir as casas no prazo de três dias se não houver apelação ao Supremo. Mesmo assim, dificilmente os juízes aceitarão um recurso. Assim, as casas serão destruídas num futuro próximo. A Fazenda Maon deverá ser o primeiro ponto de atrito entre o atual governo e os colonos. Também são esperados conflitos entre colonos radicais e forças de segurança quando começar a destruição de várias obras de infra-estruturas erguidas ilegalmente em pontos do grande bloco de assentamentos de Gush Etzion, no distrito de Belém. Segundo o grupo "Paz Agora", são mais de 100 os enclaves ilegais construídos nos últimos anos. Para os palestinos e a legislação internacional, todos os assentamentos construídos em território ocupado na Guerra de 1967 são ilegais e constituem um sério obstáculo para a paz e a formação de um futuro Estado palestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.