Israel pressiona palestinos para retomada de diálogo

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, conclamou os palestinos a não abandonarem as negociações de paz e qualificou como "irreal" a iniciativa palestina de buscar reconhecimento da comunidade internacional. "Nós esperamos que os palestinos cumpram o compromisso de participar de negociações diretas", disse Netanyahu no início da reunião semanal de seu gabinete de governo. "Eu acredito que qualquer tentativa de contorná-las por meio de apelos a órgãos internacionais é irreal e não dará ímpeto a um processo diplomático genuíno."

AE, Agência Estado

24 de outubro de 2010 | 13h37

Depois de meses de esforços, os Estados Unidos convenceram os dois lados a relançarem negociações diretas de paz no início de setembro, mas os palestinos abandonaram o processo depois de algumas semanas, quando Israel permitiu que expirasse o embargo às obras nas colônias judaicas estabelecidas na Cisjordânia ocupada.

Autoridades palestinas têm declarado desde então que, caso Israel não retome no embargo às obras nos assentamentos judaicos, retomadas em ritmo acelerado, eles buscarão reconhecimento de sua independência perante os Estados Unidos, o Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) ou a Assembleia Geral da ONU. Netanyahu afirma que vem mantendo "intensos contatos com o governo norte-americano com o objetivo de reiniciar o processo diplomático". As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.