Israel pretende ampliar assentamentos na Cisjordânia

Israel apresentou planos para construir mais 300 novos lares na Cisjordânia, a despeito da suspensão de novas construções prevista no plano de paz apoiado pelos Estados Unidos. Os palestinos condenaram o projeto e exigiram intervenção americana. A construção de 273 apartamentos na Cisjordânia foi anunciada pelo Ministério da Habitação israelense, que publicou um convite para que empreiteiras se apresentem para a licitação. Os apartamentos estão previstos para Karnei Shomron, no interior da Cisjordânia, e Givat Zeev, nos arredores de Jerusalém.O ?mapa da paz? apoiado pelos EUA exige uma suspensão total da construção nos cerca de 150 assentamentos judaicos na Cisjordânia e Faixa de Gaza. Os palestinos pretendem estabelecer um Estado nos dois territórios, capturados por Israel numa guerra em 1967.Os palestinos também descumpriram determinações do ?mapa?, que prevê a desmobilização dos grupos responsáveis por ataques a Israel, e o plano está emperrado. O governo israelense diz que os novos prédios são necessários por conta do ?crescimento natural? das colônias. Uma alta autoridade israelense, que pediu para não ser identificada, diz que as novas obras ?não têm nada a ver? com o mapa da paz, e que a construção não envolverá o confisco de mais terras dos palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.