Israel proíbe diplomatas europeus em Ramallah

Soldados israelenses impediram hoje a entrada de um grupo de diplomatas da Europa na cidade sitiada de Ramallah (Cisjordânia). O grupo pretendia checar a situação de cidadãos europeus que vivem no local. Segundo o consulesa-geral da Suécia, Catherina Kipp, o comboio com representantes de 14 países da União Européia transportava alimentos, água potável e medicamentos, quando foi parado pelos militares israelenses. Ela informou que vários estrangeiros desejam abandonar a cidade, mas são impedidos pela incursão israelense.O exército de Israel invadiu Ramallah, ao norte de Jerusalém, assim como várias outras vilas e cidades palestinas, depois de uma onda de ataques suicidas que matou vários civis israelenses. Os cônsules da Europa não souberam informar a quantidade exata de cidadãos europeus que vivem em Ramallah. Kipp estimou o número de suecos em 30.De acordo com o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Emmanuel Nachson, os diplomatas não receberam permissão para entrar na cidade "para que a vida deles fosse protegida em meio aos conflitos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.