Israel propõe acordo para manter novos assentamentos congelados na Cisjordânia

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse ontem, pela primeira vez, que prorrogará a restrição a novos assentamentos na Cisjordânia caso os palestinos reconheçam Israel como Estado judeu. A oferta foi rejeitada pelos palestinos. Eles argumentam que aceitar Israel como nação judaica diminui os direitos dos árabes em território israelense - 20 % da população. No domingo, Israel aprovou uma lei que obriga não judeus que vivem no país a reconhecê-lo como "Estado judeu". A moratória de 10 meses nas construções israelenses na Cisjordânia expirou há duas semanas. A comunidade internacional pressiona Israel para que mantenha a restrição aos assentamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.