Israel protesta contra críticas de enviado da ONU

Israel enviou uma carta formal de protesto ao secretário-geral da ONU, Kofi Annan, para criticar as declarações feitas por Lakhdar Brahimi - enviado especial das Nações Unidas ao Iraque - de que a política israelense de dominação é uma grande veneno para o Oriente Médio. O embaixador do Estado judeu na ONU, Dan Gillerman, disse que os comentários de Brahimi são "sarcásticos, parciais e elevam as preocupações sobre a objetividade da ONU com relação ao conflito entre israelenses e palestinos".As divergências começaram na última quarta-feira, quando Brahimi concedeu uma entrevista à rádio France Inter. De acordo com ele, seus esforços no Iraque estão sendo prejudicados pela repressão israelense aos palestinos. "Não há nenhuma dúvida de que o grande veneno na região é essa política israelense de dominação e o sofrimento imposto aos palestinos, assim como a percepção dos povos da região e de outras partes do mundo sobre a injustiça dessa política e o apoio igualmente injusto dos Estados Unidos a essa política", declarou.Brahimi repetiu suas críticas a Israel em conversa com a emissora de televisão americana ABC, mas deixou claro que estava apenas refletindo as opiniões do mundo árabe. "Creio que exista uma unanimidade no mundo árabe, e certamente em boa parte do resto do mundo, de que a política israelense é errada, brutal, repressiva e não tem a paz como objetivo, seja lá o que vocês acreditem aí nos EUA."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.