Israel protesta contra discurso cubano pró-palestinos

Em protesto contra um discurso cubano exigindo o fim da violência contra os palestinos, a delegação de Israel enviada a uma conferência internacional de parlamentares cancelou sua participação nesta noite em um jantar oferecido pelos anfitriões de Cuba. "Ficamos surpresos por Cuba ter assumido uma posição sobre o Oriente Médio. Nós não aceitamos isto", disse nesta terça-feira em coletiva o ministro israelense da Justiça, Meir Shetrit, chefe da delegação de seu país, que participa desde domingo de uma conferência da União Interparlamentar. "Não participaremos da reunião desta noite", acrescentou ele em referência ao jantar a ser oferecido nesta terça aos participantes por Ricardo Alarcón, presidente da Assembléia Nacional de Cuba. No entanto, o ministro israelense disse que a delegação de seu país continuará a participar da conferência, que reúne mais de mil parlamentares de mais de 120 países. No domingo, durante a sessão de abertura do evento, Alarcón afirmou em seu discurso que, para se obter uma paz justa e duradoura no Oriente Médio, seria necessária a retirada das tropas israelenses dos territórios ocupados e o estabelecimento de um Estado palestino com capital em Jerusalém. "Essa é a única base real para a paz na região: o fim da brutal agressão contra o povo palestino", disse Alarcón em seu discurso, sendo aplaudido por grande parte das delegações presentes. Interrogado sobre a ausência de Israel no jantar, o deputado cubano Lázaro Barredo, assistente de Alarcón, indicou que Cuba é a anfitriã do encontro e cada delegação "é livre para fazer o que bem entender". A conferência da UIP será encerrada no sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.