Israel quer recrutar reservistas para intensificar ofensiva a palestinos

Altos comandos das Forças Armadas de Israel farão uma reunião neste domingo para conversarem sobre a possibilidade de reservistas serem chamados para aumentar o efetivo militar contra os palestinos devido ao aumento da escalada da violência na região, informou o diário independente Haaretz.Qualquer decisão terá que ser aprovado previamente pelo Conselho do Governo de unidade nacional presidido pelo primeiro-ministro por Ariel Sharon. Segundo as Forças Armadas, com a possível ampliação das inserções contra campos de refugiados e cidades palestinas seria necessário um maior contingente para tomar o controle desses locais. A reconquista de territórios autônomos palestinos é uma das exigências dos ministros de direita aliados ao primeiro-ministro israelense. Após um sábado sangrento, Sharon reuni-se este domingo com o ministro do Exterior, Shimon Peres, e o da Defesa, Benjamin Ben-Eliezer para conversar sobre a situação da região, informou uma rádio israelense. No entanto, a polícia em Tel Aviv e em áreas próximas estão em estado máximo de alerta, já que espera novos atentados na região.Ainda na manhã deste domingo, o conselheiro político de Sharon, Zalman Shoval, disse que o ?o exército israelense continuará com os ataques? aos territórios palestinos em Gaza e na Cisjordânia. A declaração foi feita um dia após 14 israelense morreram e mais de 150 ficarem feridos em dois atentados palestinos suicidas em Netanya e Jerusalém.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.