Israel quer transferir famílias de suicidas

O governo de Israel está estudando a possibilidade de transferir as famílias de atacantes suicidas da Cisjordânia para a Faixa de Gaza, na tentativa de desencorajar outras pessoas de perpetrar ataques do mesmo tipo. A informação foi dada hoje pelo porta-voz do Ministério da Justiça israelense, Yaakov Galanti. Segundo ele, o procurador-geral de Israel, Elyakim Rubinstein, encontrou-se nesta semana com oficiais do Exército e do serviço de inteligência, o Shin Bet, para discutir os aspectos legais da transferência de palestinos da Cisjordânia para Gaza - ambos territórios sob controle virtual dos palestinos.De acordo com Galanti, Rubinstein deverá escrever nas próximas semanas um esboço do plano para mudar as famílias. A deportação de familiares de atacantes suicidas para outros países - uma idéia apoiada por várias autoridades israelenses - não foi discutida na reunião entre Rubinsten e as outras autoridades.No passado, o Exército israelense destruía as casas dos atacantes suicidas para punir suas famílias e supostamente desencorajar futuros suicidas. "Sempre houve sugestões de punir as famílias, porque não se pode punir os suicidas em si", disse Yonatan Beker, um outro porta-voz ministerial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.