Israel realiza maior ofensiva desde 1982

Israel intensificou hoje sua ofensiva militar contra os palestinos e matou 28 pessoas em uma incursão nos campos de refugiados, no centro comercial da margem ocidental. As tropas de Israel estão espalhadas pelo território palestino, disseram fontes da Segurança. É a maior ofensiva realizada desde que Israel invadiu o Líbano, em 1982, quando o atual primeiro-ministro Ariel Sharon era ministro de Defesa.A vice-ministra de Defesa de Israel, Dalia Rabin-Pelossof, disse acreditar que os confrontos podem cessar quando chegar, na quinta-feira, o enviado especial norte-americano Anthony Zinni.Enquanto continuam os ataques, dois ministros do gabinete israelense, pertencentes ao partido ultranacionalista, renunciaram indicando que Sharon não era suficientemente duro com os palestinos.Nos combates de ontem, o campo de refugiados de Jebaliya, o maior e mais povoado, com 100.000 moradores, foi atacado durante três horas com artilharia pesada proveniente de tanques e helicópteros. Centenas de ativistas palestinos enfrentaram as forças israelenses e, pelo menos, 18 palestinos morreram e 75 ficaram feridos.Tanques israelenses também tomaram conta da população de Ramallah, na margem ocidental, e do campo de refugiados Amari, ao sul de Ramallah. Cinco palestinos, entre eles dois policiais, dois guardas desarmados que tomavam conta do edifício do parlamento e um taxista, foram mortos por soldados israelenses. Um ônibus de civis foi atingido nesta terça-feira por tiros a menos de dois quilômetros da fronteira entre Israel e o Líbano. O Exército disse que o veículo foi atingido por disparos de arma de fogo e granadas e pelo menos três pessoas ficaram feridas. O ataque ocorreu perto da pequena cidade de Shlomi. Segundo uma rádio local, os tiros partiram de um carro passageiro e as forças de segurança ainda trocaram tiros com o assaltante. O Exército bloqueou as estradas da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.