Israel recua em ameaça de deportar jornalistas

O governo de Israel retirou uma ameaça de emitir ordens de deportação contra jornalistas que se unirem a uma flotilha que planeja romper o cerco do país e chegar à Faixa de Gaza. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse hoje que ordenou a autoridades a busca de uma fórmula para o caso dos repórteres, se eles estiverem na flotilha que viola as leis de entrada em Israel.

AE, Agência Estado

27 de junho de 2011 | 10h37

Ontem, Israel afirmou que qualquer jornalista pego a bordo poderia ser deportado e impedido de entrar no país por dez anos. Jornalistas dizem que devem ter o direito de cobrir uma notícia importante. O governo israelense acusa a mídia de ser cúmplice da tentativa de entrada ilegal da flotilha em Gaza. Há um ano, Israel atacou uma flotilha similar, matando nove ativistas turcos, um deles também cidadão norte-americano. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.