Israel reforça segurança de Sharon e parlamentares

O Shin Beit, principal serviço de segurança de Israel, reforçou a segurança em torno do primeiro-ministro Ariel Sharon e dos parlamentares do país nos dias que antecedem a votação, pelo deputados, de um plano unilateral de retirada da Faixa de Gaza e de quatro pequenas colônias na Cisjordânia. O aumento da segurança é reflexo da situação potencialmente explosiva gerada pelo debate do assunto, que será apreciado pelo Parlamento de Israel na próxima semana. Sharon, que durante décadas defendeu com unhas e dentes a expansão dos assentamentos nos territórios palestinos, atualmente tem planos de ser o primeiro chefe de governo da história israelense a remover colônias. O primeiro-ministro alega que a presença israelense em Gaza não pode ser defendida. Pouco mais de 8.000 colonos judeus vivem entre 1,3 milhão de palestinos na faixa litorânea. Apesar de as pesquisas de opinião indicarem que a maioria dos israelenses é favorável ao plano de Sharon, ele enfrenta dura oposição de seus tradicionais simpatizantes, em especial os radicais defensores dos assentamentos. Colonos judeus apoiados por correligionários de Sharon no Partido Likud prometem combater o plano. Alguns opositores denunciaram o primeiro-ministro como "um ditador que está colocando em risco a existência de Israel".

Agencia Estado,

20 Outubro 2004 | 17h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.