Israel reinicia ataques nos subúrbios de Beirute

Israel reiniciou os ataques aéreos contra áreas dominadas pelo Hezbollah e atacou os subúrbios de Beirute na madrugada de quinta-feira, horário local, segundo informações de fontes locais. Este foi o primeiro ataque contra os subúrbios da capital em quase uma semana.Testemunhas afirmam que pelo menos quatro explosões foram ouvidas enquanto mísseis atingiam o Dahieh, um bairro xiita muçulmano que tem sido alvo de ataques desde que Israel iniciou sua ofensiva há três semanas. Os moradores sentiram um impacto de uma grande explosão por volta das duas horas da manhã, enquanto mísseis, aparentemente, atingiam áreas próximas ao quartel do Hezbollah em Dahieh, ao sul da capital. Os ataques aconteceram depois que o Hezbollah lançou foguetes contra a cidade israelense de Afulah, em sua ação mais intensa contra Israel até agora. Pelo menos 210 foguetes e mísseis, um número recorde, foram lançados em um só dia no norte de Israel. Um deles atingiu a cidade de Beit Shean, a 70 quilômetros da fronteira - o maior alcance até agora de um projétil do grupo.Um homem morreu num dos ataques, na cidade de Nahariya, e pela primeira vez a Cisjordânia, território ocupado por Israel na guerra de 1967, foi atingida: um foguete caiu perto dos vilarejos árabes de Fakua e Jalboun, sem causar vítimas. Pouco antes dessa barragem de projéteis cair sobre o país, o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, declarou que a ofensiva no Líbano havia "destruído inteiramente" a infra-estrutura do Hezbollah, o que seria comprovado pelo reduzido número de foguetes lançado nos dois dias anteriores. Os intensos ataques do Hezbollah foram em resposta ao primeiro grande assalto das forças israelenses no interior do Líbano no atual conflito, desfechado entre terça-feira à noite e a madrugada de quarta-feira, com o apoio de helicópteros. Nessa ação, os bombardeios na vila de Jammaliyeh, perto de Baalbek, no nordeste do Líbano, mataram 15 civis libaneses (incluindo 4 crianças) e 4 membros do Hezbollah.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.