Israel reivindica ataques aéreos contra posições do exército sírio

Ação foi represália a 'tentativas' de instalação de bombas artesanais ao longo da fronteira, disseram forças armadas em comunicado

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2020 | 18h53

TEL AVIV - Israel reivindicou na noite desta segunda-feira, 3, os ataques aéreos contra posições do Exército sírio, em represália a "tentativas" de instalação de bombas artesanais ao longo da questionada fronteira com a Síria.

"Em resposta (a esta tentativa), jatos de combate, helicópteros de ataque e aviões das forças armadas israelenses atacaram alvos militares no sul da Síria que pertencem às forças armadas sírias", anunciou em um comunicado o exército israelense, que reivindica poucas vezes seus ataques na Síria.

A defesa antiaérea síria agiu na noite desta segunda-feira contra "alvos hostis" perto da capital, Damasco, reportou a agência oficial de notícias, Sana.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) registrou "ataques israelenses" na província de Quneitra (sul) e na cidade de Bukamal, perto da fronteira iraquiana (nordeste), mas não detalhou se houve vítimas ou feridos.

"Às 22h40 de hoje (16h40 no horário de Brasília), helicópteros do inimigo israelense lançaram rajadas de mísseis contra algumas de nossas posições (...) em Quneitra", informou a Sana, citando uma fonte militar, que garantiu que só houve "danos materiais".

Desde o início do conflito na Síria, em 2011, Israel realizou diversos ataques contra as forças do regime local e contra seus aliados, Irã e o Hezbollah libanês, inimigos do Estado judaico. /AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Israel [Ásia]Síria [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.