Israel remove 48 militares contrários à repressão aos palestinos

O governo israelense tomou nesta quarta-feira as primeiras medidas disciplinares contra os reservistas que assinaram uma petição afirmando que não estavam dispostos a participar da repressão contra a revolta palestinas nos territórios ocupados.Segundo a rádio Jerusalém, 48 comandantes (quase todos oficiais) foram removidos dos cargos. O chefe do Estado-Maior do exército, general Shaul Mofaz acusou os reservistas de atuar com fins políticos.Um porta-voz do grupo dissidente, Yaniv Yankovic, afirmou que o número total de assinaturas é de quase 170. A petição foi assinada há duas semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.