REUTERS/Mohamad Torokman
REUTERS/Mohamad Torokman

Israel retira proibição às exportações palestinas

Decisão vem depois da Autoridade Palestina recuar em sua decisão de reduzir as importações de carne bovina israelense

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2020 | 11h34

JERUSALÉM - Israel anunciou nesta quinta-feira, 20, a retirada da proibição às exportações de produtos agrícolas palestinos. A decisão ocorre depois da Autoridade Palestina concordar em recuar em sua decisão de reduzir as importações de carne bovina israelense, pondo fim a meses de guerra comercial.

A Autoridade Palestina, que queria diminuir sua dependência dos produtores israelenses, reduziu de forma significativa a importação de carne a partir de setembro. Após o fracasso das negociações, Israel bloqueou a entrada de produtos agrícolas palestinos em seu território. A Autoridade Palestina respondeu com uma decisão similar contra produtos de consumo israelenses.

A disputa comercial se intensificou quando o Estado hebreu proibiu os agricultores palestinos de exportarem seus produtos para o exterior através da passagem de Allenby. Controlada por Israel, a passagem une a Cisjordânia ocupada com a Jordânia, onde os produtos podem ser enviados para o restante do mundo.

Na quinta-feira, 19, o ministro israelense da Defesa, Naftali Bennett, anunciou em um comunicado a suspensão de todas as restrições às exportações palestinas, "depois da retirada da proibição que afetava os agricultores israelenses".

O ministro palestino da Agricultura retomou, por sua vez, as importações de carne, incluindo bovina, assim como de todos os produtos e mercadorias de todos os países do mundo sem obstáculos.

"Este é o resultado das negociações diretas e indiretas por meio de terceiras partes internacionais como consequência da retirada das medidas ilegais israelenses", disse o Ministério, em um comunicado./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.