Israel retira tropas de Ramallah

Tanques e tropas israelenses estão deixando Ramallah, na Cisjordânia, cidade que é sede da Autoridade Palestina. Segundo testemunhas, unidades do Exército de Israel deixaram a cidade e rumaram para o assentamento judeu de Beit El. Em uma declaração, o ministro da Defesa israelense, Binyamin Ben-Eliezer disse que as forças continuarão em torno de Ramallah e que o presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat, deve tomar as medidas necessárias para evitar que ataques sejam lançados contra israelenses. Enquanto isso, a violência entre palestinos e israelenses continuava na cidade de Nablus. Em um confronto, três palestinos e um soldado israelense morreram. O Hamas disse que os três palestinos atiraram contra uma patrulha israelense, matando um soldado antes de serem atingidos. O Exército de Israel disse que um palestino foi morto e outro ferido, mas que no decorrer do tiroteio os três árabes morreram. Kamal el Hinai, que estava a cerca de 50 metros do local, afirmou que os palestinos foram feridos e depois executados pelos soldados israelenses. "Uns 7 ou 8 soldados israelenses cercaram os palestinos e abriram fogo contra o chão", disse. O Exército de Israel nega as acusações. Ramallah é uma das seis cidades invadidas pelo Exército israelense após um militante da Frente Para a Libertação da Palestina (FPLP) ter assassinado o ministro do turismo de Israel Rehavam Zeevi, em 17 de outubro. Na segunda-feira, os israelenses deixaram a cidade de Qalqilya e, na semana passada, foram retiradas tropas das cidades de Belém e Beit Jalla. Ainda há unidades isarelenses em Tulkarem e Jenin. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.