Israel retirará exigência de prisão de radicais

Israel vai deixar de lado uma das principais exigências feitas à Autoridade Palestina (AP) para o avanço do plano de paz: a prisão de líderes dos grupos que considera terroristas e o desmantelamento de sua infra-estrutura, disseram altos funcionários palestinos e israelenses. O país aceitou, em princípio, a garantia dada pelo chefe da Segurança da AP, Mohamed Dahlan, de que vai monitorar os militantes mais buscados por Israel e impedir que promovam atentados. Funcionários americanos disseram que os EUA aceitarão, por ora, o compromisso, Os detalhes do acordo podem ser fechados hoje entre Dahlan e o ministro da Defesa de Israel, Shaul Mofaz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.