Israel se diz pronto para agir contra ação de militantes

Um soldado israelense e um palestino ficaram feridos em outro incidente ocorrido nesta sexta

Agência Estado

25 de março de 2011 | 10h54

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse nesta sexta-feira, 25, que Israel está pronto para reagir com "grande força" contra ataques de militantes, um dia depois de o país ter lançado um ataque aéreo de retaliação na Faixa de Gaza.

 

Veja também:

especialInfográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

especialLinha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

forum Enquete: Qual a melhor solução para o conflito?

 

"Nós estamos prontos para agir com grande força e grande determinação para colocar um fim ao terrorismo", disse Netanyahu antes do início de um encontro com o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates.

 

Por sua vez, Gates assegurou que os laços entre Washington e Israel em matéria de segurança estão mais estreitos do que nunca e disse que as mudanças que estão acontecendo na região nos últimos meses criam novas oportunidades.

Na manhã desta sexta, um palestino e um soldado israelense ficaram feridos após uma briga na região do vale do Jordão, na Cisjordânia ocupada, informou a polícia. O incidente ocorreu perto do assentamento de Tomer, 15 quilômetros ao norte de Jericó.

 

Segundo a polícia, um palestino atacou o soldado israelense com uma pedra em um ponto de ônibus, ferindo-o na cabeça. A polícia chegou ao local e atirou contra o palestino, que também ficou ferido.

Em outro incidente, tropas próximas de Nablus, no norte da Cisjordânia, prenderam dois palestinos que levavam bombas improvisadas, segundo os militares. As forças de segurança israelenses estão em alerta máximo, após o atentado em um ônibus ocorrido na quarta-feira em Jerusalém. O ataque matou uma turista britânica e deixou pelo menos 38 feridos, 3 deles em estado grave.

 

(Com informações da Dow Jones, AP e Efe)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.