Israel se prepara para operação na Faixa de Gaza

O Exército israelense estuda a possibilidade de lançar uma operação militar na Faixa de Gaza diante do temor de que a violência entre as facções palestinas possa ocasionar em novos ataques contra o Estado judeu.O jornal cita destacadas fontes de segurança e dos serviços de segurança geral que coincidem em que a atual espiral de violência entre facções rivais na Faixa de Gaza poderia derivar no reatamento dos ataques contra Israel.As fontes indicaram que, por enquanto, não acontecerá nenhuma operação, mas as Forças Armadas israelenses acreditam que uma ofensiva em Gaza, similar à "operação Muro de Defesa", lançada em março de 2002 na Cisjordânia e que devastou as infra-estruturas da Autoridade Nacional Palestina (ANP), poderia se transformar em uma necessidade.As forças de segurança israelenses sentem especial preocupação pela possibilidade de o grupo islâmico Hamas decidir retomar os atentados suicidas e outros tipos de ataques contra alvos no Estado judeu, motivado pelas acusações palestinas de que Israel apóia o Fatah.O Hamas, à frente do Governo palestino, mantém desde março de 2005 uma suspensão quase rigorosa de seus ataques contra Israel, especialmente os atentados suicidas ou a bomba.O "Ha´aretz" acrescenta que desde então, o grupo islâmico está aparentemente acumulando uma grande quantidade de armas como os artesanais foguetes Qassam, cujo alcance e poder destrutivo foram melhorados desde a retirada israelense da Faixa de Gaza no verão de 2005.As forças de segurança acreditam que o Hamas e a Jihad Islâmica fabricaram foguetes com alcance entre 15 a 16 quilômetros. Enquanto isso, cerca de 30 palestinos morreram nos violentos enfrentamentos registrados na Faixa de Gaza nos últimos três dias entre seguidores do Fatah e do Hamas.O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e o chefe do birô político do Hamas no exílio, Haled Mashal, agendaram uma reunião para a próxima semana em Meca (Arábia Saudita), em uma tentativa de pôr fim aos enfrentamentos e na esperança de formar um Governo de união nacional.O jornal de Tel Aviv acrescenta que atualmente Israel não tem intenções de se envolver nas lutas internas palestinas. Além disso, diz que a violência em Gaza não afetou necessariamente de forma negativa a situação da segurança ao longo da fronteira, e destaca que houve uma redução no número de ataquescom foguetes Qassam contrasolo israelense.O "Ha´aretz" acrescenta que a Jihad Islâmica continua planejando ataques contra Israel, como o atentado suicida desta semana na cidade de Eilat.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.