Israel se recusa a receber comissão da ONU

Apesar da ONU ter aprovado a ida de uma missão para investigar as violações aos direitos humanos nos territórios palestinos ocupados por militares israelenses, o governo de Israel até agora se recusa a autorizar a viagem dos representantes das Nações Unidas à região. A missão internacional será liderada pela alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Mary Robinson, e pelo ex-premiê espanhol Felipe Gonzalez, e terá como um de seus objetivos preparar um relatório sobre as violações cometidas pelo exército de Israel contra os palestinos.O embaixador de Israel na ONU, Yaakov Levy, explicou à Agência Estado que a relutância em autorizar a ida da missão ocorre por questões de segurança, já que uma das exigências das Nações Unidas é de que Mary Robinson e Felipe Gonzalez tenham acesso a todas as regiões e locais. "A situação no terreno ainda não é propícia para uma visita", alega Levy.O embaixador reconhece, porém, que Israel está aguardando os resultados da visita do secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, à região para tomar uma decisão sobre se autorizará ou não a investigação da ONU. "Com todo o respeito (à ONU), a prioridade agora é essa visita", disse o diplomata.O presidente da Comissão de Direitos Humanos da ONU, Krzysztof Jakubowski, lembra que muitos países estão preocupados com a demora da autorização. "Espero que uma resposta por parte de Israel seja dada logo", afirmou.A recusa de Israel em permitir a viagem das personalidade internacionais está irritando os países árabes, que chegaram a cogitar a possibilidade de pedir suspensão das reunião da Comissão de Direitos Humanos da ONU até que o governo de Ariel Sharon autorize a entrada da missão nos territórios ocupados da Palestina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.