MAHMUD HAMS / AFP
MAHMUD HAMS / AFP

Israel solta um dos fundadores dos Hamas após prisão sem acusações

Hassan Yussef, de 65 anos, estava preso desde abril de 2019 por meio de uma detenção administrativa, meio polêmico usado por Israel para prender palestinos sem acusação formal

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2020 | 11h30

JERUSALÉM - Um dos fundadores do movimento islâmico palestino Hamas, Hassan Yussef, foi solto por Israel nesta quinta-feira, 23, após 16 meses de detenção administrativa, sem acusações. A informação foi confirmada pelo filho da liderança, Owais Youssef, à agência de notícias francesa AFP.

"Meu pai foi libertado da prisão israelense de Ofer e agora está em casa e com boa saúde", afirmou Owais Yussef.

Um dos principais chefes do Hamas na Cisjordânia ocupada, Hassan Yussef, hoje com 65 anos, foi detido em sua residência, em Ramallah, em abril de 2019. Antes, o líder rebelde já havia sofrido outra detenção administrativa de 10 meses, até o final de final de 2018.

Inicialmente, Yussef foi mantido em detenção administrativa por seis meses. Ao fim do período, no entanto, a prisão foi prorrogada por mais seis meses, e, ao fim, por mais quatro meses.

Detenção administrativa

A detenção administrativa é uma dispositivo israelense para deter os palestinos sem acusá-los, ou processá-los, por períodos que podem ser renovados por até seis meses.

Os defensores dessa medida em Israel apontam a necessidade de isolar indivíduos considerados perigosos, assim como a impossibilidade, por razões de segurança, de tornar públicas as provas contra eles. Já os críticos afirma que se trata de um ataque aos direitos fundamentais./ AFP

Tudo o que sabemos sobre:
HamasIsrael [Ásia]Cisjordânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.