Israel tenta impedir transmissões do Hezbollah

Israel pediu à França que bloqueie o que qualificou como transmissões de televisão anti-semitas produzidas pelo grupo guerrilheiro Hezbollah e transmitidas por um satélite do qual o governo francês possui propriedade parcial, revelou hoje uma porta-voz israelense. O Ministério das Relações Exteriores de Israel solicitou formalmente ao governo francês que interrompa as transmissões para fora do Líbano da emissora Al-Manar, operada pelo Hezbollah, disse Amira Oron uma porta-voz da chancelaria do Estado judeu.O Ministério da Justiça da França está investigando a legalidade da interrupção da transmissão com base em uma lei que impede a incitação, prosseguiu Oron.No ano passado, Israel e os Estados Unidos protestaram formalmente por uma série transmitida pela Al-Manar que aparentemente tinha como base os "Protocolos dos Sábios do Sião", um tratado considerado anti-semita escrito no século 19.O programa "Al-Shatat", palavra árabe para "A Diáspora", incluía judeus falando sobre um governo judaico de proporções globais. Em uma cena, uma prostituta que trabalha no bordel de uma cafetina judia na Europa fala sobre seu desejo de infectar não-judeus com um vírus sexualmente transmissível do qual é portadora.A Al-Manar é conhecida por criticar Israel e divulgar imagens de ataques de guerrilheiros do Hezbollah contra o Exército israelense. A emissora pagou uma empresa síria para produzir o seriado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.