Israel terá 'plano de como agir' caso Irã obtenha armas nucleares

Relatório é iniciativa do chanceler Avigdor Lieberman, um dos mais radicais membros do governo

estadão.com.br

25 de outubro de 2010 | 11h41

JERUSALÉM - O ministro de Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, delegou o desenvolvimento de um relatório dando instruções sobre como o país deverá se preparar caso o Irã obtenha armas nucleares, informou uma fonte do governo nesta segunda-feira, 25, ao jornal Haaretz.

 

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

 

Publicamente, Israel jurou nunca deixar o Irã obter acesso a armas atômicas. Governos anteriores, porém, discretamente planejaram a elaboração de um plano de contingência se o programa de enriquecimento de urânio de Teerã se mostrasse com finalidades militares.

 

Lieberman, um dos mais radicais membros do governo, ordenou que ministros e estrategistas desenvolvam um plano sobre "o que fazer se acordarmos e descobrirmos que os iranianos têm uma arma nuclear", disse uma fonte do governo, que falou sob condição de anonimato devido à sensibilidade da questão. A medida de Lieberman foi tomada devido à ineficácia das políticas de prevenção do governo de Benjamin Netanyahu, atual premiê

 

Membros do Ministério de Exteriores também estão preparando um relatório sobre possíveis respostas caso a Autoridade Nacional Palestina (ANP) declare unilateralmente o Estado palestinos e tome a Cisjordânia, atualmente ocupada por Israel. O Estado judeu segue construindo assentamentos na área.

 

O gabinete de Netanyahu se recusou a comentar a iniciativa de Lieberman. "A posição do governo é de que todas as tentativas devem ser feitas para que o Irã não obtenha armas nucleares", disse uma fonte do governo.

 

Especula-se que Israel seja o único país do Oriente Médio que mantém um arsenal nuclear, mas o governo não nega nem confirma. O Estado judeu e o Irã acusam-se mutuamente de minar as negociações de paz na região e consideram-se inimigos mortais.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelIrãprograma nuclearLieberman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.