Israel tomará medidas contra armas do Irã, diz Sharon

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, declarou que o mundo não faz o bastante para impedir que o Irã desenvolva armas nucleares e afirmou que seu país já adota suas próprias medidas para se proteger. As declarações de Sharon foram feitas durante entrevista concedida recentemente ao jornal The Jerusalem Post e publicada hoje. De acordo com o primeiro-ministro, "não há dúvidas" de que Teerã busca desenvolver armas atômicas, "por meio de mentiras e subterfúgios".Na opinião de Sharon, os esforços internacionais para deter o desenvolvimento de armas nucleares por parte do Irã - inclusive as inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e as ameaças dos Estados Unidos - não bastam. "Eu não considero que as atividades contra eles (os iranianos) sejam suficientes para impedi-los de obter armas nucleares", disse. Sem entrar em detalhes, Sharon enfatizou que o governo israelense está "adotando suas próprias medidas para se defender". O governo israelense considera-se especialmente ameaçado porque o Irã testou mísseis de longo alcance capazes de atingir qualquer parte do país, prosseguiu o primeiro-ministro. Ele alega que até mesmo os moderados iranianos defendem a destruição de Israel. Em 1981, Israel bombardeou um reator nuclear que vinha sendo construído nos arredores de Bagdá em meio a temores de que o regime do então presidente Saddam Hussein buscasse armas nucleares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.