Israel ultrapassou todos os limites, diz Mubarak

O presidente egípcio, Hosni Mubarak, afirmou hoje que Israel "ultrapassou todos os limites? ao sitiar a Basílica da Natividade em Belém (Cisjordânia), e ?violou barbaramente os direitos humanos nas cidades palestinas, em especial na cidade e no campo de refugiados de Jenin". "Israel cometerá um erro se continuar com as violações dos direitos humanos, desafiando a vontade internacional", disse Mubarak, destacando que o governo israelense justifica suas operações "sob o pretexto de lutar contra o terrorismo".Mubarak dez um discurso por ocasião do 20º aniversário da retirada israelense do Sinai, após a assinatura de paz entre Egito e Israel em abril de 1979. O presidente egípcio acrescentou que Israel está equivocado ao "acreditar que todas as operações militares garantirão a segurança; pelo contrário, aumentarão os sentimentos de ódio, de rancor e de vingança, não só do povo palestino, como também dos quase 300 milhões de árabes". Outro erro, afirmou, será "tentar desmantelar a Autoridade Nacional Palestina (ANP) e seu presidente eleito legítima e democraticamente".O exército israelense lançou em 29 de março sua operação Muralha de Defesa na Cisjordânia, ocupando as cidades e localidades autônomas palestinas, destruindo casas e escritórios e devastando particularmente o campo de refugiados de Jenin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.