Ammar Awad/REUTERS
Ammar Awad/REUTERS

Israel vai vacinar prisioneiros palestinos contra covid-19

De acordo com autoridades penitenciárias, aplicação das doses começará na segunda-feira, 18

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2021 | 14h00

JERUSÁLEM - As autoridades prisionais israelenses anunciaram neste domingo, 17, a próxima vacinação contra covid-19 para todos os seus prisioneiros, incluindo palestinos, após repetidos pedidos da justiça, de ONGs e funcionários palestinos.

O Ministro de Segurança Pública de Israel, Amir Ohana, sugeriu recentemente que os prisioneiros não deveriam ser vacinados, embora um esquema de vacinação estivesse sendo executado em todo o país. Medida que o procurador-geral Avichai Mandelblit qualificou de "ilegal", segundo a imprensa local. 

Oficiais palestinos e de ONGs pediram para que Israel vacinasse os 4.400 palestinos detidos nas prisões israelenses, dos quais pelo menos 250 contraíram covid-19, de acordo com dados do Clube de Prisioneiros Palestinos.

No domingo, as autoridades penitenciárias de Israel afirmaram em nota “que após a vacinação dos funcionários (...) as vacinações dos detidos começariam nas prisões”. “Isso diz respeito a todos os presos, sem distinção”, confirmou à Agência France-Presse uma porta-voz da administração penitenciária.

A aplicação das doses começará na segunda-feira, 18, especificaram logo em seguida.  "A ocupação [termo usado pelos palestinos para nomear Israel] tem a obrigação de fornecer vacinas aos prisioneiros", disse Hazem Qassem, porta-voz do Hamas. O movimento islâmico palestino, no poder na Faixa de Gaza, acusa as autoridades israelenses de "negligência deliberada"./AFP

Tudo o que sabemos sobre:
HamasIsrael [Ásia]vacinação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.