Israel vê participação do Irã em ataques do Hezbollah

Uma fonte do serviço de inteligência israelense disse neste sábado que soldados iranianos ajudaram militantes do Hezbollah a atirar o míssil que atingiu um navio de guerra israelense na noite de sexta-feira. Segundo a Marinha de Israel, a embarcação foi atingida por um projétil C-102, de origem iraniana, e não por um avião não tripulado do Hezbollah, como informado anteriormente.O navio, que reforçava o bloqueio marítimo imposto contra o Líbano por Israel, foi severamente danificado. Ao menos um marinheiro morreu no ataque, e outros três estão desaparecidos.Falando sob condição de anonimato, o agente israelense afirmou que cerca de 100 soldados iranianos estão no Líbano, e teriam participado do lançamento do C-102, um míssil controlado por satélite. Mais cedo, a Marinha israelense havia desmentido a informação de que um avião não tripulado fora utilizado para atingir o navio. "Podemos confirmar que a embarcação foi atingida por um míssil de origem iraniana lançada pelo Hezbollah. Vemos isso como uma pista profunda do envolvimento dos iranianos no Hezbollah", disse o general Ido Nehushtan.Ainda assim, a inteligência israelense confirmou que o Hezbollah possui aeronaves não tripuladas mais precisas do que mísseis, que podem ser utilizadas em ataques. Tel-Aviv sob ameaçaSegundo uma outra fonte militar de Israel, o Hezbollah possuí cerca de 20 mísseis capazes de atingir alvos a até 200 quilômetros da fronteira com o Líbano, o que coloca as duas maiores cidades israelenses - a capital Tel-Aviv e Jerusalém - no raio de alcance dos militantes. O Hezbollah possuiria ainda outros 150 projéteis com capacidade de alcance de 45 quilômetros."Eles podem atingir Tel-Aviv", disse a fonte, acrescentado que a inteligência israelense não sabe porque o grupo ainda não utilizou nenhum dos mísseis de maior alcance.De acordo com um porta-voz do Exército israelense, mais de 350 mísseis do tipo Katyusha foram lançados contra Israel, incluindo 40 neste sábado. Quatro pessoas morreram e outras 60 ficaram feridas nos ataques.Parte dos foguetes lançados neste sábado atingiram o balneário de Tiberias, no Mar da Galiléia, forçando os moradores da cidade a se esconderem em abrigos antibomba. Segundo uma rádio israelense, turistas deixaram a região após o ataque, e policiais alertaram banhistas em diversas praias a procurarem abrigo. A cidade, que não era atingida por mísseis desde de 1973, fica a 35 quilômetros da fronteira do Líbano.Além do navio israelense alvejado pelo Hezbollah, uma embarcação civil de bandeira egípcia naufragou após ser atingida por um outro míssil lançado pelos militantes. Segundo o general Nehushtan, o corpo de um dos quatro marinheiros desaparecidos após o ataque do Hezbollah foi encontrado a bordo do próprio navio. Segundo outras fontes militares israelenses, no entanto, já são dois o número de corpos encontrados.Israel lançou sua ofensiva contra o Hezbollah depois que guerrilheiros cruzaram a fronteira do Líbano e capturaram dois soldados israelenses na última quarta-feira. Desde então, Israel bombardeou o aeroporto de beirute e as principais estradas do Líbano, no maior ataque contra o país em 24 anos.Texto atualizado às 10h

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.