Israel vê risco de se transformar em "Estado pária"

Israel está em rota de colisão com a União Européia e pode tornar-se um Estado pária, como a África do Sul durante o regime racista de apartheid, se o conflito no Oriente Médio não for solucionado, adverte o Ministério do Exterior israelense num estudo confidencial sobre uma perspectiva para os próximos 10 anos obtido pela Associated Press. O documento de 25 páginas, organizado pelo Centro para Pesquisa Política da chancelaria, afirma que a UE está pressionando para tornar-se um grande protagonista internacional na próxima década, e, conseqüentemente, os Estados Unidos, principal aliado de Israel, tendem a perder influência internacional. Uma Europa mais influente provavelmente exigirá um maior respeito de Israel a convenções internacionais e poderá tentar limitar a liberdade de ação do Estado israelense em seu conflito com os palestinos, considera o estudo. Israel também pode ter de pagar um preço pela crescente competição entre a UE e os EUA. De acordo com o documento do Ministério do Exterior, que foi escrito em agosto e obtido hoje pela AP, Israel poderia ficar cada vez mais isolado nos próximos anos se a Europa tornar-se mais influente. "Em circunstâncias extremas, isso poderia colocar Israel em rota de colisão com a União Européia. Isto traria o risco de Israel perder legitimidade internacional e poderia levar ao seu isolamento, como aconteceu com a África do Sul", advertiu o documento.

Agencia Estado,

13 Outubro 2004 | 15h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.