Israel vê viagem de navios do Irã por Suez com gravidade

Israel encara com "gravidade" o que o Irã diz ser o envio de rotina de dois navios de guerra ao Mar Mediterrâneo, afirmou o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, durante sua reunião semanal de gabinete.

AE, Agência Estado

20 de fevereiro de 2011 | 14h40

"Hoje estamos testemunhando a instabilidade na região em que vivemos e sobre a qual o Irã está tentando lucrar, ampliando sua influência ao enviar dois navios de guerra para cruzar o Canal de Suez", disse Netanyahu, segundo um comunicado divulgado pelo gabinete. "Israel enxerga com gravidade essa iniciativa iraniana e outros acontecimentos que reforçam o que dissemos em anos anteriores sobre nossas necessidades de segurança."

No início desta semana, o ministro de Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, considerou a movimento dos navios do Irã uma "provocação". O Egito já deu permissão para que as duas embarcações atravessem o Canal de Suez em direção à Síria.

Um diplomata do Irã disse que a passagem dos navios pelo canal - a primeira desde a revolução islâmica de 1979 - é "de rotina" e "de curto prazo". "Será uma visita de rotina, dentro da lei internacional, em linha com a cooperação entre o Irã e a Síria, com quem possuímos laços estratégicos", acrescentou.

"Os navios passarão alguns dias nos portos da Síria para propósitos de treinamento" e já visitaram outros países, como Omã e a Arábia Saudita.

Uma autoridade do Canal de Suez disse que os navios iranianos ainda não chegaram à passagem, contrariando as informações da rede de televisão estatal do Irã, segundo a qual as embarcações já estariam no Mar Mediterrâneo. "Nenhum navio iraniano passou hoje. Nem hoje, nem ontem, nem anteontem", disse o chefe da sala de operações do Canal de Suez, Ahmed al-Manakhly. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelIrãnaviosSuez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.