Israel viola plano de paz e segue com obras na Cisjordânia

O governo israelense lançou licitações para a construção de 1.000 novas casas em colônias de judeus na Cisjordânia, alegando que as obras têm o consentimento tácito do governo americano, embora violem as condições do ?mapa da paz? proposto pelos EUA. Autoridades dos Estados unidos dizem esperar que Israel siga as determinações do ?mapa? que, entre outras condições, requer um congelamento das obras nos assentamentos em território palestino.A decisão do premier israelense, Ariel sharon, de lançar as licitações ocorre no momento em que se amplia a rebelião contra o governo dentro do próprio partido de Sharon, o Likud. Likudistas radicais se opõem ao plano do governo de abandonar os assentamentos da Faixa de Gaza e de aceitar o Partido Trabalhista como parte do governo.As novas casas serão construídas nas colônias de Karnei Shomron, Ariel, Maaleh Adumim e Beitar Illit, disse um porta-voz do Ministério da Habitação. O porta-voz disse que as colônias selecionadas para expansão fazem parte do ?consenso israelense?, isto é, estão entre as que Israel pretende manter de qualquer maneira, a despeito dos palestinos. Sharon já afirmou que pretende anexar porções da Cisjordânia num futuro acordo de paz.O ministro palestino Saeb Erekat pediu que o presidente dos EUA, George W. Bush, intervenha. ?Acho que isso (a construção) destrói o mapa da paz?, afirmou. Já o grupo Paz Agora afirma que a expansão contradiz o chamado plano de desligamento entre Israel e palestinos, anunciado por Sharon.?O chefe ficou doido?, diz nota do grupo. ?Em vez de desligar-se, Sharon está levando a cabo uma ocupação maciça da Cisjordânia?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.