Israel volta a atacar campo de refugiados; mais mortos

Helicópteros israelenses bombardearam o campo de refugiados de Rafa, na fronteira entre Gaza e o Egito nesta terça-feira, matando pelo menos 19 palestinos, dando continuidade a uma ofensiva já condenada pelo secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, e pela União Européia. Os Estados Unidos dizem que pediram ?esclarecimentos? de Israel sobre a operação.O Exército israelense diz que a maioria dos mortos de hoje eram homens armados. Palestinos informam que há pelo menos nove civis entre as vítimas, incluindo um casal de irmãos, de 16 e 13 anos. O número de mortos deverá subir. Médicos dizem que há dois corpos que ainda não foram recolhidos.Israel diz que ataca o campo para destruir túneis subterrâneos que cruzam a fronteira e são usados para o contrabando de armas. Autoridades israelenses já declararam também que pretendem ampliar a estrada usada para patrulhar a fronteira, o que exigirá a demolição de centenas de casas palestinas. No entanto, hoje militares disseram que não haverá demolições em massa.Semana passada, cerca de 100 construções próximas à estrada já foram derrubadas, deixando mais de mil palestinos sem ter onde morar e atraindo críticas de todo o mundo. Informe da Anistia Internacional acusa Israel de crimes de guerra pelas demolições. Em resposta, a chancelaria israelense disse que ativistas palestinos usam casas em bairros civis para atacar soldados e como disfarce para a entrada dos túneis de contrabando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.