Israel volta a fechar fronteiras após 8 mortes

Israel voltou a impor um bloqueio total nas fronteiras com os territórios palestinos, na manhã de hoje, após um motorista da Faixa de Gaza ter lançado o ônibus que dirigia contra um ponto de ônibus na pequana cidade de Azur, ao sul de Tel-Aviv, matando oito israelenses e ferindo outras 20 pessoas. Dos oito mortos, sete eram soldados israelenses. As fronteiras da Faixa de Gaza com o Egito e da Cisjordânia com a Jordânia também foram fechadas.Os palestinos vindos da Cisjordânia e da Faixa de Gaza foram impedidos de entrar em Israel, com exceção daqueles que precisaram de tratamento médico urgente. O Exército israelense, no entanto, manteve a permissão para a entrada de grupos de peregrinos muçulmanos para Meca.Apesar disso, o aeroporto internacional palestino, de onde partem os vôos com peregrinos para Meca, continuava fechado nesta manhã. As operações do aeroporto foram suspensas ontem, em resposta a um confronto armado travado entre israelenses e palestinos nos arredores da cidade de Khan Yunis.Centenas de palestinos estão sendo impedidos de atravessar a fronteira para trabalhar, desde que Israel iniciou o bloqueio, em outubro. Nas últimas semanas, o exército israelense havia facilitado o bloqueio permitindo que os palestinos voltassem a trabalhar em Israel. O bloqueio está sufocando a economia palestina. A taxa de desemprego subiu de 11%, antes da explosão de violência na região, para o nível atual de 38%. Cerca de 30% dos palestinos vivem agora abaixo da linha de pobreza, comparado com um nível de 20%, em outubro.

Agencia Estado,

14 de fevereiro de 2001 | 11h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.